Terapia cognitivo-comportamental na Fibromialgia

Lidar com a dor, diariamente, não é fácil!
Desesperação, aflição, sentimento de incapacidade são vivenciados a cada momento.
O problema é que esses pensamentos, que surgem de forma automática, colaboram na manutenção dos sintomas, pois eles geram
mais tensão, mais ansiedade e diminuição na vontade de agir.
A Terapia Cognitivo-comportamental trabalha justamente neste ponto. Nos pensamentos!
Situação, pensamento, emoção e comportamento estão entrelaçados e atuando no enfrentamento, o paciente consegue encarar sua doença de uma outra forma.
O tratamento individualizado e com foco nas necessidades específicas do paciente, costuma ser de aproximadamente 4 meses, ou seja, mais breve que outras linhas de tratamento.
Com a terapia, o fibromiálgico aprende novas formas de pensar, gerando novas emoções e, consequentemente, novos comportamentos.

O trabalho é em conjunto, terapeuta e paciente buscam, juntos, alternativas e estratégias para se viver melhor. E por ser educativo, exercícios são propostos e lições de casa são estipuladas para que seja melhor assimilado o que foi aprendido em terapia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário